Mindfulness: antídoto para negatividade e dor física

Devido as inúmeras tarefas que executamos diariamente, desenvolvemos o péssimo costume de não estarmos 100% atentos a cada uma das nossas atividades do dia a dia. Assim, a falta de atenção no momento presente é algo que se tornou constante na nossa rotina.

Ser multitarefas pode parece um elogio, mas, na verdade, é algo altamente nocivo a sua saúde e bem-estar emocional, podendo ser um agravante na desregulação emocional, prejudicando também a nossa felicidade com as conquistas e momentos do presente.

Efeitos da atenção plena

Atualmente, muito se fala sobre os resultados positivos obtidos através da união da medicina convencional com técnicas e práticas das terapias integrativas que proporcionam uma qualidade de vida melhor para as pessoas.

Alinhado a isso, um estudo realizado por pesquisadores em Yale, Columbia e Dartmouth mostrou que técnicas que induzem à atenção plena, além de ter benefícios no tratamento de muitas condições psicológicas, ajudam as pessoas a lidarem com emoções negativas e com a dor física.

Mas não só isso, Hedy Kober, professor associado de psiquiatria e psicologia da Universidade de Yale, e seus colegas de pesquisa queriam saber se pessoas com rotinas comuns, sem nenhum treinamento formal em meditação e atenção plena, poderiam se beneficiar destes mesmos resultados em poucos minutos de práticas.

Para chegar a essa conclusão, os participantes do estudo foram testados em dois contextos durante a realização de varreduras de imagens cerebrais: um para avaliar a resposta à dor física induzida pela aplicação de alto calor no antebraço e outro para medir sua resposta quando apresentado com imagens negativas.

Em ambos os contextos, os pesquisadores encontraram diferenças significativas nas vias de sinalização do cérebro quando os participantes foram solicitados a empregar técnicas de atenção plena em comparação com quando foram solicitados a responder normalmente.

No fim da pesquisa, os participantes relataram sentir menos dor e emoções negativas ao empregarem técnicas de atenção plena, ao mesmo tempo em que seus cérebros mostraram reduções significativas nas atividades associadas a essas sensações.

Essas mudanças neurológicas não ocorreram na área cerebral que regula a tomada de decisão consciente ou racional, portanto esse efeito de “antídoto” não foi resultado da força de vontade consciente.

“A capacidade de permanecer no momento ao sentir dor ou emoções negativas sugere que pode haver benefícios clínicos para a prática da atenção plena em condições crônicas – mesmo sem uma longa prática de meditação”, disse Kober.

Sendo assim, foi possível concluir que o mindfulness, ou atenção plena é uma estratégia poderosa na regulação da emoção, caracterizando por ser um processo de aprendizagem rápida e implantada com muita eficácia na rotina de qualquer indivíduo.

Como praticar mindfulness?

Se você deseja aproveitar os benefícios do mindfulness, mas não sabe como iniciar, separamos seis exercícios para que você possa experimentar.

1. Hábitos rotineiros

Todo mundo arruma a cama, toma banho e escova os dentes todos os dias, mas você já percebeu onde está o seu pensamento enquanto pratica essas ações habituais? E por que não se concentrar somente em executar essas atividades, sem pensar em coisas do passado ou que ainda nem aconteceram?

2. Perceba o ambiente que você está

A vida é convivência diária com múltiplas personalidades, humores e estados de espírito. Por isso, é importante observar e sentir o que está sendo vibrado ao seu redor. Trocar experiências com as pessoas que lhe rodeiam podem oferecer muito mais benefícios para o seu bem-estar do que você imagina.

3. Faça breves pausas

Vivemos constantemente pensando no futuro que esquecemos de absorver as sensações e benefícios do que acabamos de executar, já partimos para a próxima função. Ter proatividade ajuda a ter mais dinamismo, mas também nos deixa cegos para comemorar pequenas conquistas ou aprender com possíveis erros. Comece uma busca para extrair, no mínimo, uma coisa boa de cada momento do seu dia. 

4. Exercite a sua capacidade de ouvir

O mindfulness propõe que você valide a importância da fala do outro antes de emitir uma opinião ou se inserir na história por achar que a sua fala é mais importante, como fazer isso? Ouvindo, absorvendo e pensando no que está sendo dito sem sentir a necessidade de se pronunciar constantemente.

5. Repare na sua forma de comer

Comer não é apenas o ato de satisfazer algum desejo ou de se manter vivo, por isso, o processo de se alimentar também pode ser um exercício de atenção plena. Repare os cheiros e texturas daquilo que está te alimentando, cuide da sua mastigação e perceba o trabalho do seu corpo durante a refeição.

6. Preste atenção na sua respiração

A ideia desse exercício é que você consiga perceber como o ar entra e sai ao realizar a respiração. Com essa prática, que pode ser feito ao acordar ou ao longo do dia, você conseguirá perceber como ela se altera e interfere em suas ações. O encontro com a sua respiração também é um encontro com você próprio.

Dica bônus: Esqueça as distrações

Se você sabe que o celular e as rede sociais atrapalham a sua concentração plena em uma determinada atividade, tente deixar o aparelho de lado. Desative as notificações durante a execução das suas tarefas e só retome seu vício digital nos momentos de pausa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *